sábado, 5 de dezembro de 2015

IBAMA sacrificará mais de 200 aves em Manaus

Estes animais serão sacrificados. Quando é o IBAMA que mata, não é crime?
Imagem meramente ilustrativa
Esta semana, a Polícia Federal apreendeu 270 aves silvestres da fauna venezuelana, trazidas ilegalmente em seis caixas minúsculas de papelão que não ofereciam espaço para circulação de oxigênio e que estavam escondidas em duas malas de viagem. A polícia chegou ao traficante, um brasileiro de 39 anos graças a uma denúncia anônima, encontrando os animais em alto estado de stress: um deles morreu e o restante precisou ser levado para uma câmara escura e refrigerada, para diminuir o calor e evitar mais mortes. O animal que trouxe as aves nessas condições pagou fiança e responderá em liberdade ao crime de transporte ilegal de espécies da fauna silvestre, seguido de maus tratos, previsto na Lei 9.605/98. Já as aves, levadas ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em Manaus, SERÃO SACRIFICADAS, segundo informou o delegado do meio ambiente, Carlos André Gastão, e confirmou o superintendente do Ibama, Mário Lúcio Reis, a veículos de mídia impressa. Veja aqui matéria do Jornal Hoje, da TV Globo.
Segundo as "autoridades", os canários exóticos, pintassilgos e rouxinóis não são da fauna brasileira e, portanto,”seria complicado fazer a reintrodução no Brasil ou encaminhá-los de volta à Venezuela”, disse o delegado. Gostaria de perguntar ao delegado o que ele tem a nos dizer a respeito dos pardais. E das pombas. E bodes, galinhas, bois e porcos. Todos espécies exóticas à biodiversidade da América Latina. Queria também que o Ibama me explicasse se o bioma Amazônia faz distinção de fronteiras: no quê a Amazônia venezuelana é diferente da brasileira para as condições de sobrevivência dessas aves?
Queria também entender: quando é o Ibama que mata, aí não é crime ambiental?
A questão é que falta vontade de respeitar a vida. É mais fácil matar. Difícil é engolir essa pseudo-explicação para o sacrifício desses inocentes animais.
E caso você, como eu, tenha se sensibilizado com essa história, encha a caixa de emails do Ibama protestando: somente sabendo que estamos de olho nos descalabros que eles fazem é que pode haver alguma esperança de uma conduta mais digna com o respeito à vida professado por tantas religiões e tantas constituições.
Coordenação-Geral de Autorização de Uso e Gestão de Fauna e Recursos Pesqueiros - Cgfap - Clemeson José Pinheiro da Silva - Coordenador-Geral de Autorização de Uso e Gestão de Fauna e Recursos Pesqueiros
Tel: (61) 3307-1968, 3316-1172
Fax: (61) 3316-1238
e-mail: ivan.teixeira@ibama.gov.br
"retirado da internet¨"

Nenhum comentário:

Postar um comentário